Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé
Logomarca da Fundação Telefónica Vivo

Fique por dentro


Ecoempreendedorismo: uma tendência que veio para ficar

Saiba como criar produtos e serviços de forma sustentável, com poucos impactos ao meio ambiente. Pode ser bom para o planeta, para a sociedade, além de trazer lucros para o seu negócio

Data de Publicação: 2021-05-21T03:00:00.000Z | Tempo de leitura: 9 minutos

Pense Grande

Ecoempreendedorismo

Os consumidores estão cada vez mais conscientes e preocupados em relação às práticas de sustentabilidade das empresas com as quais eles interagem.

Pesquisa realizada pela Union + Webster, divulgado pelo Sistema Fiep aponta que 87% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas sustentáveis e que eles estão mais exigentes tanto com a qualidade do produto e dos serviços, quanto com a procedência deles. 

“O aumento do consumo consciente e a priorização de escolhas sustentáveis foram algumas das transformações de comportamento mais significativas desencadeadas pela pandemia. Cerca de 60% dos consumidores estão mudando seu estilo de vida para reduzir o impacto no meio ambiente”, explica Hugo Venturelli, consultor do Sebrae-SP.

Com clientes mais engajados em causas sociais e ambientais, pode ser difícil para uma empresa sobreviver atualmente sem se preocupar com esses temas. Por isso, muitos negócios já se adaptam a essa necessidade, focando no Ecoempreendedorismo. Este é um termo que se refere à abertura e gestão de uma empresa que se preocupa com a preservação ambiental e, portanto, adota políticas e iniciativas voltadas para a redução dos impactos causados por seu trabalho.

“Esse ramo vem crescendo muito nos últimos anos, sobretudo na última década, e atualmente é considerado como tendência de posicionamento dos negócios, sejam em grandes ou pequenas empresas. Como em qualquer modalidade de negócio, as organizações pautadas neste princípio buscam tanto práticas ecologicamente corretas, como socialmente justas e economicamente viáveis”, comenta o consultor do Sebrae-SP.

Não se sabe ao certo quando surgiu o termo Ecoempreendedorismo, mas desde 1972, a Organização das Nações Unidas (ONU) incentiva as empresas no mundo todo a adotarem tecnologias verdes, que são as inovações tecnológicas ligadas às questões ambientais.

Por que adotar o Ecoempreendedorismo?

Hoje em dia, pensar em negócios sustentáveis não é apenas um diferencial, mas uma real necessidade para o futuro da humanidade. Além disso, não é preciso que um empreendimento esteja diretamente associado ao meio ambiente para ser considerado sustentável. Qualquer empresa pode implementar medidas que preservem a vida dos seres humanos e da natureza. E isso é benéfico para o próprio negócio.

“Alguns projetos podem receber isenções fiscais e o próprio retorno sobre a imagem da empresa é potencializado. O que há poucos anos era uma prática desejável, hoje já se tornou pré-requisito nas relações comerciais internacionais ou junto a públicos específicos”, enfatiza Hugo Venturelli.

Para o seu negócio, você pode obter aumento de oportunidades no mercado, já que boa parte das marcas estão em busca de fornecedores e clientes que tenham compromisso com o meio ambiente.

Poucas empresas consideram estes benefícios, mas segundo Venturelli, mesmo que no início o investimento possa ser pesado, a longo e médio prazo significa uma boa economia. “Dependendo do que o negócio propõe e das mudanças que o empreendedor vai adotar, isso vai representar uma redução de custo significativa no futuro”.


Leia mais: cresce o número de brasileiros em busca de produtos mais sustentáveis

 Ecoempreendorismo também gera lucro

Sustentabilidade não é boa apenas para o planeta. As iniciativas verdes, que envolvem o Ecoempreendedorismo, são uma ótima ideia para tornar as empresas mais competitivas e alavancar os lucros.

Com algumas mudanças de hábitos e de posturas, as empresas conseguem diminuir custos e desperdícios na produção. Isso também contribui com a eficiência e também com a valorização da marca junto aos seus clientes.

O uso da tecnologia pode ajudar a reduzir custos de diversas maneiras diferentes. A automação no envio de e-mails pelo setor de marketing, um sistema contábil que reduz a necessidade de mão de obra ou uma máquina capaz de reduzir o desperdício e consumir menos energia elétrica são ótimos exemplos disso.

“É possível reduzir custos com práticas responsáveis. As empresas que atuam com limpeza de veículos com a coleta de água da chuva em cisternas ou a agricultura sustentável são exemplos de que práticas sustentáveis. Repensar um novo modelo de negócios é o caminho para novos posicionamentos”, diz o consultor.

Existem diferentes formas de um negócio lucrar mais adotando práticas sustentáveis. As ações vão desde a utilização de coleta seletiva, substituição de copos descartáveis, até a instalação de máquinas e equipamentos mais econômicos e com menor nível de emissões de poluentes.

“Outro ponto de atenção é utilizar tecnologias modernas que permitam o reaproveitamento e destinação correta dos resíduos. A gestão eficiente destes resíduos e dispensá-los no local correto é parte importante para que a empresa se descreva como sustentável”.

Cidadão Eco: coleta e retirada de lixo eletrônico

Cda em 2008, na cidade de São Paulo, a empresa Cidadão Eco atua no ramo de logística reversa de equipamentos de informática, TI e energia solar.

Eles oferecem a retirada e reciclagem de equipamentos de informática e resíduo eletrônico para empresas, escolas, instituições governamentais e residências por meio de destruição, restauração e reutilização. Segundo a empresa, 94% de todos os componentes eletrônicos descartados atualmente, considerados obsoletos ou ultrapassados, são recuperáveis.

“Nós nascemos da paixão em preservar o meio ambiente. A ideia surgiu da vontade de fazer a ponte entre os geradores de resíduo tecnológico com as grandes recicladoras deste tipo de lixo. As pessoas não sabem o que fazer com os equipamentos e como descartar, mas a gente sabe”, conta Paulino Andrade, criador do Cidadão Eco.

A empresa capta, coleta e retira sucata eletrônica de empresas, o que evita que estes produtos sejam jogados em aterros sanitários e assim sejam descartados de acordo com a legislação ambiental.

“Todos os processos realizados pela Cidadão Eco, inclusive os serviços de destruição de sucata, estão de acordo com a lei de logística reversa, ou seja, minimizam o impacto que a evolução tecnológica causa. Isso nos traz muito orgulho”, finaliza.


Vivo Sustentável

No ano de 2020, a Vivo criou um movimento para estimular o consumo consciente e a sustentabilidade.

Na campanha “Recicle com a Vivo”, a empresa convida a sociedade a refletir sobre as ações necessárias para tornar o mundo mais sustentável e incentiva o descarte correto do lixo eletrônico, que pode ser feito diretamente nas lojas da Vivo.

A ideia é engajar o consumidor com reciclagem de materiais como aparelhos de celular, cabos, tablets e notebooks no Brasil.

Para conhecer essa e outras iniciativas que colocam a Vivo como uma das empresas mais sustentáveis do mundo, acesse o site!



Como iniciar um negócio ecoempreendedor?

Se você está iniciando no empreendedorismo ou colocando as primeiras ideias no papel, a dica é começar a pensar diferente já nesta etapa. Inicie criando suas ideias a partir do ecoempreendedorismo. Com o uso deste modelo desde o princípio, a cultura colaborativa de responsabilidade ambiental já estará em todas as ações que realizar.

“Pense sobre suas práticas, como reduzir, reutilizar ou evitar a geração de resíduos. Integre a comunidade as suas atividades econômicas, deixe um legado. Estabeleça metas de melhorias, promova ações que visem a melhoria do ambiente de entorno”, finaliza Hugo Venturelli.


Veja outras práticas que podem ser adotadas:

Diminuir o consumo de água e de luz na empresa;

Substituir lâmpadas por LED ou fluorescentes;

- Deixar o ambiente favorável para a luz e ventilação natural;

Reduzir o uso e reutilizar a matéria-prima;

Incentivar a redução do lixo;

Substituir embalagens por materiais recicláveis;

Estimular a consciência de sustentabilidade em toda a equipe;

Repensar a missão e o objetivo de seu negócio, tendo como foco a preservação do meio ambiente.




Leia mais: Artesanato se adapta ao mundo virtual durante a pandemia



#Como empreender
#Como melhorar meu negócio
#Meio ambiente e sustentabilidade
#Quero empreender
#Quero melhorar meu negócio
#Empreendedores

Comentários

Você precisa estar logado para comentar

Ver mais comentários