Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé
Logomarca da Fundação Telefónica Vivo

Fique por dentro


O que é um profissional T-Shaped e porque ele é tão requisitado no mercado de trabalho

Conheça mais sobre as características deste profissional que combina uma série de competências valorizadas no mundo dos negócios

Data de Publicação: 2021-05-03T03:00:00.000Z | Tempo de leitura: 7 minutos

Pense Grande

Um novo perfil profissional tornou-se mais procurado pelo mercado de trabalho nos tempos atuais. Essa pessoa tem habilidades e competências como a capacidade de resolver problemas de forma mais eficiente e criativa. Falamos de um profissional que costuma entregar mais resultados e integra com facilidade equipes e diferentes projetos. O nome se refere ao profissional que é tanto especialista na área quanto multidisciplinar: o T-Shaped.

“Um profissional T-Shaped é aquele que possui uma ou duas competências em que é especialista e várias outras competências inter-relacionadas em que é mais generalista. A combinação destas competências torna este perfil de profissional cada vez mais desejado pelas empresas”, explica Daniel Dal’laqua dos Santos, consultor de Marketing Digital.

As constantes evoluções tecnológicas provocaram reflexos no mercado de trabalho atual, que pede profissionais que tenham coragem para testar o novo, capacidade de conciliar demandas, que sejam criativos e se relacionem bem com as áreas envolvidas nos projetos.

“Este perfil é valorizado atualmente por ser flexível e versátil. Em um ambiente em que as coisas mudam muito rapidamente, contar com um perfil multidisciplinar em qualquer equipe é sempre muito importante. Eles ajudam a resolver problemas, focam nos resultados e se integram facilmente a diferentes equipes e projetos”, complementa Daniel Dal’laqua.


Algumas características do profissional T ou T-Shaped


- Questionador

- Gosta de desafios

- Tem interesse por aprender

- Capacidade de conciliar e colaborar

- Foge de soluções óbvias

- Criativo e inovador

- Está sempre atualizado

- Focado em resultados



Leia mais: Omnichannel: entenda a importância dessa estratégia para o sucesso dos negócios

Por que Profissional em T

O conceito T-Shaped foi popularizado na década de 90, por Tim Brown, CEO de uma empresa de design na Califórnia, Estados Unidos. O termo vem da palavra inglês shape, que significa forma, modelo, estrutura.

O uso da letra “T” tem a ver com o formato para explicar qual conjunto de competências que um profissional deve desenvolver.

O risco horizontal da grafia desta consoante representa o conhecimento geral sobre diferentes assuntos, como política, economia, mercado e não precisa estar necessariamente relacionado a alguma atividade específica do trabalho.

Já o traço vertical refere-se ao conhecimento específico e aprofundado, inclusive na formação do indivíduo, sobre a área em que atua no mundo corporativo.

“O profissional em T tem a capacidade de expandir conhecimentos para várias direções, porque ele sabe muito sobre diversas áreas e, além disso, tem capacidade para aprofundá-los de acordo com a atividade exercida. Ele é uma pessoa preparada e multidisciplinar”, comenta Daniel.

Entenda melhor no infográfico abaixo

Linha horizontal (Generalista) – Habilidade de compreender assuntos gerais  Linha vertical (Especialista) – Conhecimento específico e aprofundado em sua área
Para ser um profissional T-Shaped, as duas capacidades precisam estar conectadas. 

Como se tornar um profissional T-Shaped

O mercado de trabalho se renova a cada instante. Basta olhar para o passado e pensar que as habilidades exigidas há apenas uma década já mudaram totalmente, mudança acelerada pelo uso intenso das tecnologias em praticamente todas as áreas do mercado de trabalho.

Para Daniel Dal’laqua, o principal desafio é que o profissional T-Shaped leva mais tempo para se especializar e as habilidades exigidas no mercado hoje mudam mais rapidamente.

“Por mais aplicada que seja uma pessoa, você não conseguirá se tornar um profissional do tipo T em 6 ou 12 meses. Não existe um tempo mínimo, mas é provável que você leve de 2 a 5 anos para dominar uma área específica além de várias outras correlacionadas. Além disso, as competências valorizadas hoje provavelmente não serão exatamente as mesmas que serão apreciadas em 3 a 5 anos, por exemplo”. 


Leia mais: 5 podcast sobre Projeto de Vida para pensar no futuro


Segundo o especialista, o primeiro passo para se tornar um T-Shaped é saber que não deixará de aprender nunca, porque as habilidades e competências exigidas pelo mercado de trabalho atualmente não serão as mesmas daqui a alguns anos. Então a renovação constante é a palavra-chave para continuar se desenvolvendo.

“A capacidade de aprender rapidamente é uma das chaves para acompanhar a velocidade das transformações. Neste sentido, ter um perfil autodidata é cada vez mais importante. Vejo instituições de ensino tradicionais com dificuldade em acompanhar a velocidade que o mercado exige, mas você pode aprender tudo o que quiser se contar com acesso à internet”, defende o especialista em Marketing.

Veja outras dicas:

  • Busque entender seus pontos fortes e fracos: Focar em algo que você já faz bem pode ser um caminho interessante a seguir. 
  • Faça essas perguntas sempre: O que te atrai? O que atiça sua curiosidade? Será que estas coisas, de alguma forma, podem ser integradas ao seu ciclo de competências?
  • Ter clareza sobre qual caminho deseja seguir: não quer dizer que você precise saber exatamente como irá conduzir sua carreira em cada passo, mas minimamente definir uma área central de atuação e investir seus esforços ali.
  • Não deixar de lado as soft skills (competências comportamentais): Além das aptidões técnicas é fundamental se aprimorar nestas habilidades, como liderança, comunicação, trabalho em equipe e inteligência emocional
  • E, por fim, nunca abandone seu histórico: Tudo o que você já passou e fez na vida deve ser valorizado como parte de seu repertório. Isso vale também para jovens profissionais que estão começando suas carreiras.

Leia mais: 4 maneiras de aprimorar e desenvolver as soft skills?



#Autoconhecimento
#Metodologia
#Comunicação
#Educação
#Ferramentas

Comentários

Você precisa estar logado para comentar

Ver mais comentários