Saltar para o conteúdo Saltar para o menu Saltar para o rodapé
Logomarca da Fundação Telefónica Vivo

Fique por dentro

Saiba como a técnica pode apoiar o seu empreendimento social a ganhar visibilidade e gerar mais significado para sua marca

26 de março de 2020

Desde quando nos entendemos como civilização, somos contadores de histórias. Começando nos tempos primitivos até os dias atuais – com o advento da internet e outras formas de comunicação – narrar fatos e contar uma história ajuda a aproximar as pessoas.

No mundo do marketing e dos negócios, a prática ganhou o nome de storytelling e tem se mostrado uma ferramenta eficiente. A definição mais comum para o termo é a técnica de contar uma boa história e torná-la relevante para determinado público, de acordo com o objetivo do seu negócio. Ou seja, uma história que detenha a atenção do interlocutor, levando em consideração questões ligadas ao contexto, e que registre na memória o seu conteúdo.

No caso de empreendedores sociais,contar histórias de vida e relacioná-las com as marcas e trajetórias de cada um torna-se um recurso poderoso, já que grande parte dos empreendimentos sociais surge a partir de necessidades reais e são criados por pessoas que vivem uma realidade que desejam transformar.

Por que a história importa?

Contar uma história pode tornar sua marca significativa e contribuir para a produção de conteúdos inspiradores que podem ser usados para divulgar o seu negócio, por exemplo, nas redes sociais.Afinal, você não está apenas comunicando, mas envolvendo as pessoas em seu contexto de vida e valores.

Segundo Albert Hayfaz, CEO e cofundador do VOOOZER, um storytelling efetivo deve contar uma história totalmente alinhada a um objetivo. Para o especialista, é preciso traçar essa meta, pensando no interlocutor e em como ele irá receber essa mensagem.

“Se você pretende levar uma pessoa a tomar uma decisão, se você deseja engajar, se quer ser recomendado pelo seu trabalho ou serviço, tenha em mente aonde você quer chegar e com quem você está falando. A partir daí, se pergunte sempre: que tipo de conteúdo eu não posso esquecer-me de passar de maneira nenhuma?”, orienta Albert.

Com esse objetivo traçado e o público definido,o especialista ressalta que é preciso ter em mente uma narrativa articulada que tenha um começo, meio e fim específicos e que chame a atenção do público por ser relevante.

“A boa comunicação, feita de ‘pessoa para pessoa’,ajuda a criar uma empatia com o cliente. Grande parte das pessoas adora contar e ouvir histórias. Faz parte da nossa natureza”, comenta o especialista.

Por onde começo?

Na hora de montar o seu storytelling, o ideal é não ter medo de explorar sua trajetória, o que levou à criação de seu empreendimento e o que você quer transmitir com ele. “Isso é um diferencial capaz de fazer com que as pessoas se identifiquem com a sua marca. E essa mensagem pode estar, inclusive, nos posts das suas redes sociais, na identidade visual, nas propagandas, dentre outras possibilidades”, afirma Albert.

De acordo com o especialista, no início é indicado fazer um exercício de “entrar na mente” do possível cliente para entender quem são esses consumidores. Feito essa etapa, utilize números para embasar a sua história e não deixe de ser criativo para mostrar esses dados.

“Minha principal ferramenta foi a pesquisa. É muito importante checar se já existe algo similar no mercado e tentar entender se o que você está oferecendo faz sentido para mais pessoas. Procure dados que mostrem que a sua causa está embasada e que outras pessoas passam por essa situação também”, aconselha Albert.

Ao preparar a sua narrativa é importante pensar em três pontos, segundo o especialista:

1º Criar o clima da história e situar sobre a sua narrativa

Usar algum evento importante que aconteceu em sua vida eque explique a origem da sua ideia como empreendedor – uma dificuldade, acertos e erros ou um problema que precisa resolver.

2º Criar empatia com o seu cliente

Incluir outras pessoas na sua história, complementando o seu conteúdo, pode ajudar. Nessa hora, vale encontrar pessoas que foram impactadas pelo seu negócio ou que se identificam com seu propósito.“Faça uma entrevista com a pessoa e registre”, sugere.

3º Ter sempre um chamado para a ação e disseminar sua história.

Na hora de criar storytelling, Albert indica a ferramenta de vídeo, pois, a partir dela é possível gerar conteúdo para outras diversas plataformas. “A partir daí, é possível dividir em várias partes para usar como áudio, fazer um texto, reescrever algumas partes para fazer um artigo ou transformar os trechos em posts, por exemplo,” finaliza.

7 dicas para montar um bom storytelling:

– Responda a pergunta: Com quem você quer falar? Compreenda como o seu possível cliente vê o mundo;

– Parta sempre de uma história real e evite ficções, o storytelling bem feito é algo incorporado à sua marca;

– Simplifique a história para que ela seja lembrada facilmente;

– Humanize: dê prioridade ao que realmente interessa para as pessoas;

– Use os dados a seu favor;

– Encontre meios de comunicar a sua história de forma que atenda o seu público;

– Crie uma conexão para motivar outras pessoas a compartilharem a sua história.



Comentários
Ver mais comentários

Você precisa estar logado para comentar