alt marcas
6 de março de 2018

Nada mais universal do que falar da própria aldeia. A ideia, que se tornou famosa com o escritor russo Leon Tolstói, descreve bem o que estudantes de 23 Escolas Técnicas Estaduais (ETECs) de São Paulo aprenderam no Pense Grande: tratar dos principais problemas de suas comunidades utilizando como referência os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Os ODS surgiram depois de uma reunião de líderes mundiais em setembro de 2015. No ano seguinte, em 2016, já estavam sendo usados pelas primeiras turmas de ETECs, dentro da metodologia especialmente desenvolvida para o programa.

Entre 2016 e 2017, 683 estudantes de escolas técnicas puderam relacionar as questões que queriam abordar em seus projetos de empreendedorismo social aos eixos temáticos apontados como prioritários pela ONU, da erradicação da pobreza à água potável e saneamento; da igualdade de gênero às mudanças climáticas.

Durantes as três edições do Pense Grande nas ETECs, os jovens aprenderam sobre os ODS e incorporaram em seus projetos de impacto social. No total, 44 projetos foram apresentados em demodays – dia de apresentação, em inglês, em que os empreendimentos são mostrados para investidores. Todos eles tinham relação com um ou mais ODS.

O primeiro pitch – apresentação curta, de no máximo cinco minutos – contou com a presença de Haroldo Machado Filho, assessor sênior no Brasil do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).  Ele foi convidado como jurado e se surpreendeu.

 “Vi os jovens bem motivados, com conhecimento bastante aprofundado sobre os ODS, dispostos a aumentar a escala de seus projetos e fazer a diferença não só na sua localidade, mas no Brasil”, disse Machado.

O estudante Marcos Oliveira, de 16 anos, da ETEC Pirituba, esteve entre os participantes do Pense Grande nas ETECs. Ele criou o aplicativo Empaixão, inspirado na ODS 5: igualdade de gênero. O app mapeia espaços seguros para populações sujeitas à violência, como mulheres e grupos LGBT. “Sempre gostei de discutir preconceitos, principalmente ligados à sexualidade. O Pense Grande e os ODS foram a chance que eu precisava”, diz o jovem, premiado entre os oito projetos de destaque na terceira edição.

Larissa Santos, de 16 anos, da ETEC Juscelino Kubitschek, em Diadema, na Grande São Paulo também trabalhou com a metodologia.  “É uma oportunidade maravilhosa atuar em algo em que somos diretamente afetados”, disse.

Ela e outros quatro colegas desenvolveram o projeto Box Cult, um dos oito destaques da terceira etapa do Pense Grande nas ETECs, no segundo semestre de 2017.

A iniciativa, que se relaciona ao ODS 4 (Educação de Qualidade) consiste em uma caixa com conteúdos de culturas especificas (negra, nordestina, oriental) enviada para escolas públicas para que trabalhem esses temas com alunos do Ensino Fundamental.

Na página da Agenda 2030, você pode conhecer os 17 ODS estabelecidos pela ONU e as 169 metas relacionadas a eles. Confira abaixo a tabela com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

Notícias relacionadas

Na imagem, voluntário José Vicente Teixeira Junior faz homenagem ao Pense Grande em montanha na Bolívia
13 de setembro de 2018

Voluntário faz homenagem ao Pense Grande direto da Bolívia

10 de setembro de 2018

Jovens do Pense Grande participam do Festival Social Good Brasil

27 de agosto de 2018

Jovens do Pense Grande falam sobre empreendedorismo e propósito