alt marcas

Modelo de Negócio | Círculo Dourado

Baixar PDF

Atividade 2:

Tempo Estimado

1h40mim

Materiais
Necessários

deixar mais claro aos(às) jovens qual o propósito que guiará seus empreendimentos.

Esta é uma adaptação da atividade de mesmo nome criada pela Impact Hub, parceira do Pense Grande.

Neste momento da jornada empreendedora, mais importante do que ter uma solução definida é responder à pergunta: “Por que fazemos o que estamos fazendo?”.

Quem traz esse questionamento é Simon Sinek, especialista em inovação. Ele notou que grandes líderes mundiais respondem a essa pergunta em seus projetos. “Segundo a teoria, todas as pessoas sabem bem o que elas fazem, algumas pessoas e empresas sabem como, mas apenas uma pequena quantidade sabe bem o porquê”, explica no livro “Marketing de Conteúdo: a Moeda do Século XXI”.

Saber o porquê empreender é fundamental para entender a motivação do(a) empreendedor(a). Cada jovem deve saber responder por que acredita em sua ideia a ponto de transformá-la em um empreendimento.

Já começamos a trabalhar essa motivação dos(as) jovens no Tema 1, nas atividades do “Ikigai” (Tema 1 – Atividade 3) e “Você é o seu(sua) super-herói(heroína)” (Tema 1 – Atividade 4). Todos esses elementos, juntos, ajudarão a responder a atividade de agora.

#comofazer:

Parte 1 – O quê?
A_Cada jovem recebe uma folha sulfite, cartolina ou folha de flipchart e desenha três círculos, um dentro do outro – sendo um maior, outro tamanho médio e um menor –, conforme o exemplo abaixo:


Material para formação de Voluntários Pense Grande, produzido pela Impact Hub.

No círculo menor, mais interno, está a pergunta “POR QUÊ?”. No círculo intermediário, a pergunta “COMO?” e, no círculo maior, mais externo, a pergunta “O QUÊ?”.

B_Retome a atividade “Um olho na ideia e outro no desafio” (Tema 5 – Atividade 1), em que, a partir do Brainstorming, cada jovem definiu uma solução possível para transformar em negócio e solucionar um desafio. Essa solução é “o quê” queremos fazer. Peça para os(as) jovens escreverem a solução em um post-it e colar no círculo maior “O QUÊ?”.

Parte 2 – Como?
O “COMO?” diz respeito à forma de se fazer e inclui os valores e crenças que o(a) empreendedor(a) e seu negócio tem. Ao responder “como”, o(a) jovem identificará o seu diferencial, aquilo que irá fazer se destacar na multidão.

A_Cada jovem deve pensar na maneira como seu empreendimento se destacará no mercado. Qual seu diferencial, qual sua riqueza, seu “ouro”? Eles(as) devem anotar nos post-its todas as ideias surgidas.

B_Forme duplas para os(as) jovens colaborarem uns com os outros. Cada jovem compartilha suas ideias – os seus “como” – com sua dupla, que depois pode fazer perguntas e dar sugestões. Depois, os papéis se invertem: quem escutou na primeira rodada agora fala. Um olhar de fora pode ajudar muito na definição do “COMO?” de cada empreendimento.

C_Com as anotações das sugestões recebidas, cada jovem volta a trabalhar individualmente para refinar seu “COMO?”. A sugestão é escolher o que for mais aderente à solução (que responde ao desafio), mas também que represente os valores de cada um(a). Uma vez definido o “COMO?”, o(a) jovem deve colar esse post-it no círculo intermediário.

Parte 3 – Por quê?
No Círculo Dourado, o grande salto é conseguir responder a “Por que fazemos o que estamos fazendo?”. Se tal clareza for alcançada, a chance de fazer algo realmente inovador é enorme.

A proposta aqui é enxergar o significado e o verdadeiro propósito do(a) jovem e responder a perguntas do tipo:

“Qual é sua causa?”
“Por que você quer empreender?”
“Por que você levanta e sai da cama todos os dias?”
“Qual é a sua motivação?”
“O que motiva a transformar essa ideia em um empreendimento?”

A_Novamente forme duplas, mas diferentes da etapa anterior. O objetivo é refinar ao máximo para chegar concretamente à resposta da pergunta “POR QUÊ?” do negócio. Sendo assim, após um(a) dos(as) jovens expor seu “O QUÊ?” e seu “COMO?”, o(a) outro(a) pergunta, de três a cinco vezes: “Você quer fazer o que se propõe fazer por quê?”.
É uma boa provocação para evitar respostas com pouca consistência como “Porque sim”, “Porque me identifico com o tema”, “Porque acho legal fazer algo assim”…

Enquanto um(a) fala, outro(a) escuta. E depois inverte. O objetivo é que se chegue em um “porquê” essencial e cada jovem se sinta confortável e motivado(a) a levar essa convicção adiante.

B_Com as provocações feitas para as duas partes da dupla, cada jovem define individualmente a questão “POR QUÊ?”, escrevendo-o em um post-it e colando-o no círculo menor, central.

Exemplo do empreendimento Embarcar:

C_Novamente, para finalizar a atividade, peça para que cinco jovens apresentem, em até três minutos, seus Círculos Dourados preenchidos. É importante que valorizem e explicitem, de forma clara, as escolhas feitas.

D_Faça o fechamento da atividade, perguntando ao grupo suas principais descobertas e como foi a troca de informações com os(as) outros(as) jovens.