alt marcas

Introdução | Sobre os encontros

Baixar PDF

Mobilização para a Formação Pense Grande
Como juntar um grupo de jovens e iniciar a formação do Programa? O primeiro passo é identificar onde você pode encontrar jovens de 15 a 29 anos interessados(as) no tema. Comece observando nas suas redes, nos lugares e grupos que frequenta. Esses(as) jovens podem estar na escola, faculdade, comunidade, em projetos sociais, igrejas, coletivos, associações, etc. Na história do Programa, as turmas são, em geral, compostas de 20 a 40 jovens, mas isso não é uma regra. Veja quais as condições e a capacidade de sua realidade local.

O segundo passo é identificar, nesses locais e grupos mapeados por você, quem são os(as) responsáveis ou as melhores pessoas para dar apoio na realização dos encontros: um(a) líder, um(a) professor(a), diretor(a) da escola, uma liderança comunitária, algum(a) assistente social, entre outros(as). Pense como essas pessoas podem apoiar você: seja na “convocação” dos(as) jovens, na divulgação da formação, conseguindo um espaço físico ou materiais para a realização das oficinas…Viu por que não está sozinho(a)?

Local para formações
O próximo passo é encontrar um local para a realização dos encontros. Ele precisa ser de fácil acesso e, se possível, conhecido pelo grupo. Pense em um espaço que permita a circulação das pessoas, com cadeiras e mesas para sentar e escrever, e que também elas possam ser organizadas em roda ou pequenos grupos. O local deve dar liberdade aos(às) jovens para trabalharem os muitos desafios da formação. Às vezes, o encontro gera bagunça e sujeira. É importante para o espírito coletivo do grupo que todos(as) ajudem na limpeza e reorganização do espaço ao final de cada oficina. É recomendável que tenha um espaço para guardar os materiais a serem usados em cada encontro e para os materiais produzidos pelas equipes. 🙂

Cronograma
Com o espaço garantido, defina um calendário para as oficinas com as datas, horários e temas de cada uma. Isso ajudará você e os(as) jovens a se organizarem para os encontros que seguirão durante essa jornada no Pense Grande. O calendário pode ser impresso e distribuído ao final do primeiro encontro e também ser afixado no local das oficinas. Ter isso em mãos proporciona segurança aos(às) participantes, que também se preparam para as discussões e assuntos do dia.

Divulgação
Conhecendo sua realidade, decida qual é a melhor forma de divulgar as oficinas e atingir seu público. Pode ser por meio de cartazes afixados nesses locais mapeados por você, em rádios locais, pelo Facebook, WhatsApp, fazendo um convite pessoalmente e até mesmo organizando um evento para promover a formação do Pense Grande.

Se quiser, você pode preparar uma apresentação simples e, ao mesmo tempo, inspiradora sobre o Pense Grande. Sugerimos abordar alguns pontos como:

_O que é o Pense Grande?
_Qual o público desta formação? A quem se destina?
_Qual o objetivo desta formação? O que o(a) jovem pode esperar?
_Quantos encontros serão realizados? Qual a periodicidade? Qual a dedicação esperada?
_Onde serão os encontros?

Para conquistá-los(as), vale muita criatividade, inspiração, empatia e simplicidade. 😉

Dica: para evitar surpresas, caso o público seja mais amplo ou desconhecido, aconselhamos que você crie uma pré-inscrição, por e-mail ou por meio de um evento no Facebook, a ser feita pelos(as) interessados(as) em participar da formação. Dessa forma, você consegue prever o número de participantes e saber se precisa divulgar mais. Além disso, terá um planejamento e preparação mais adequados do espaço e materiais para as oficinas.

Materiais e recursos
Descrevemos os materiais necessários para a realização de cada atividade. Você pode adaptá-los de acordo com sua realidade local, sem perder de vista os objetivos de aprendizagem e a produção que se espera ao final de cada encontro. Separe com antecedência os materiais necessários, se possível, em caixas.

Temos atividades que necessitam do uso de computadores, celulares e internet. Caso o espaço escolhido não ofereça esses recursos, você pode levar a turma para realizar essas tarefas específicas em outro local ou buscando parcerias. Lembre-se de sua termo, peça ajuda às famílias, amigos(as), profissionais próximos, etc. Dispor de recursos mínimos é essencial para o “mão na massa” do Pense Grande.

Combinados
É muito importante acordar quais serão os combinados, regras de convivência e compromissos do grupo durante toda a formação.

Não é obrigatório que todos(as) tenham o mesmo ritmo, mas é preciso que tenham um objetivo comum e uma mesma direção. A responsabilidade do bom andamento da formação não é somente sua como multiplicador(a), é também dos(as) jovens durante toda a jornada do Pense Grande. Todos(as) têm sua responsabilidade para que, ao final, cumpramos com os objetivos propostos. Definam em conjunto alguns combinados, por exemplo, como lidar com atrasos e conversas paralelas, como respeitar os diferentes ritmos de aprendizagem, como receber opiniões diferentes e feedbacks, como se portar no momento de apresentação dos(as) outros(as), como acolher histórias pessoais de alguma pessoa, como se cuidar nas saídas a campo, etc.

Os acordos deverão ser registrados e compartilhados com todo o grupo e, se possível, ficarem afixados em local bem visível durante toda a formação. Quando algo não for respeitado, é necessário retomar/reforçar os acordos feitos.

Alguns exemplos de combinados que podem ajudar (e muito):

_Escutar com atenção e falar com intenção – quando alguém estiver falando, multiplicador(a) ou jovem, todos(as) prestam total atenção e, quando for falar, tentar ser objetivo(a) e falar o necessário;
_O que for dito no grupo fica no grupo – se alguém compartilhar algo pessoal ou acontecer algo que exponha a pessoa, todos(as) acordam em não comentar com pessoas de fora do grupo. Isso ajuda a fortalecer os laços de confiança dentro da turma;
_Cuidar do espaço físico disponível e do bem-estar das pessoas, e utilizar os materiais das atividades sem desperdício;
_Respeito com as opiniões e contribuições de todos(as), mesmo que não concorde com elas;
_Autorresponsabilidade para com as atividades de todo grupo e da própria equipe – cada pessoa é responsável pelo bom andamento das atividades e pelo desenvolvimento do trabalho de cada equipe, cada um(a) tem seu papel e importância;
_Combinar algum comando para pedir silêncio com o objetivo de evitar ficar gritando, por exemplo, levantar os braços e balançar as mãos, bater palmas;
_Outra questão fundamental: pontualidade! Isso mostra que você se importa com o tempo dos(as) participantes e com o que foi planejado para tratarem naquele encontro. A fim de ter um bom resultado, mantenha o foco e controle o tempo para cada atividade. Não precisa ser o tempo sugerido neste manual, pode ser o tempo que você, conhecendo a turma, achar necessário. Mas, não se esqueça de fazer o planejamento antes e respeite, no encontro, esses tempos que você definiu;
_Confira no tema “O Indivíduo” uma sugestão de atividade para elaboração coletiva dos combinados.