alt marcas
27 de outubro de 2017

Grupos de diversas regiões do Brasil mostraram suas ideias nos pitchs, apresentações de até 5 minutos para profissionais importantes da área

Na última semana de setembro, São Paulo recebeu jovens participantes do Programa Pense Grande da Fundação Telefônica Vivo. Vinda de diversos lugares e realidades do Brasil, essa galera têm se dedicado, nos últimos meses, ao desenvolvimento de ideias impacto social.

Divididos em grupos, eles passam por capacitações, vivências e dinâmicas para trabalharem suas competências empreendedoras, aumentarem sua rede de contatos e desenvolverem suas iniciativas. Conheceram também seus mentores – empreendedores que já passaram pelos desafios pelos quais eles estão passando e que se tornaram voluntários para dividir seus conhecimentos e experiências.

O desafio, dessa vez, foi fazer um pitch – demonstração de até 5 minutos sobre cada projeto, de um jeito atraente, que chame a atenção dos convidados. O parceiro executor Aliança Empreendedora deu uma assessoria pra que cada um conseguisse dar o seu melhor na frente da banca, formada por profissionais como Adriana Carvalho, da ONU Mulheres, Adriano Lira, repórter da revista  Pequenas Empresas & Grandes Negócios e Roberto Sekiya, subsecretário de inovação do Governo do Estado de São Paulo.

As mãos suaram e as vozes tremeram um pouco, mas as apresentações feitas durante toda a manhã do dia 28 de setembro mostraram a diferença do preparo ao longo dos meses do Pense Grande para na hora de divulgar as ideias.

Um dos primeiros grupos a se apresentar foi o da Barkus, plataforma de educação financeira que trabalha tanto digital quanto presencialmente. “As dinâmicas dessa semana provocaram nosso grupo a se preparar para o pitches. Elas nos fizeram questionar: ‘como nos vemos como empreendedores e pessoas?’. Isso tornou a apresentação mais fácil”, ressalta Wallace de Anchieta, um dos idealizadores do projeto ao lado de Marden Nilton, de 22 anos, João Victor Gelio, e Maria Beatriz Santos Silveira, todos com 21 anos.

O grupo carioca Rolo de Filme, projeto de incentivo à audiovisual na periferia, também compartilhou suas impressões e aprendizados sobre etapas do Programa Pense Grande. “A imersão humaniza a figura do empreendedor, acabando com o mito dele ser infalível. Podemos nos reconhecer enquanto pessoas capazes de empreender”, contou Fábio Henrique da Silva Santos, do Rolo de Filme.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas

3 de maio de 2018

Aplicativo criado por estudantes facilita busca por pessoas desaparecidas

25 de abril de 2018

Metodologia Pense Grande passa a fazer parte da grade curricular de instituições públicas

17 de abril de 2018

Estudantes de ETECs mostram criatividade em oficinas