alt marcas
10 de setembro de 2018

Fundação Telefônica Vivo leva estudantes que foram destaque no Demoday do Pense Grande ao festival e lança iniciativas estratégicas

A Fundação Telefônica Vivo convidou o grupo que ficou em primeiro lugar no Demoday da 4º edição do Pense Grande para um experiência imersiva: participar do Festival Social Good Brasil. A ideia foi dar aos jovens alunos da ETEC André Bogasian, de Osasco (SP) a oportunidade de continuar os aprendizados, entrando em contato com as atividades e a rede de empreendedores presentes no evento, realizado em Florianópolis.

O projeto criado pelos estudantes propõe o desenvolvimento da plataforma Women Work, especializada em combater a desigualdade no mercado de trabalho, conectando mulheres a oportunidades de emprego.

E foi um empreendimento similar, o Movimento Black Money, um banco focado no atendimento a pessoas negras, apresentado por Nina Silva no evento, que mais inspirou o grupo, já que na visão deles trouxe uma solução de impacto casado a uma apresentação muito bem montada.

“Foi simplesmente incrível, o jeito que ela falava e como apresentou foi muito marcante na noite. Teve até uma parte que ela citou que ela não estava sozinha, tinha ela e mais um navio negreiro inteiro… nossa, foi de arrepiar”, se empolga Camila Santos (16) ao relembrar.

O significado de viver em uma era de tecnologias exponenciais foi o questionamento que norteou as discussões da 7ª edição do Social Good Brasil. O evento aconteceu em Florianópolis no início de setembro reuniu referências nas áreas de tecnologia e impacto social.

A edição não se preocupou apenas em apresentar, mas também buscou estimular as competências que cercam o mundo da tecnologia com a realização de workshops, palestras e oficinas sobre os instrumentos necessários para construir um mundo conectado e colaborativo.

 

Percepções sobre o Festival

A expectativa dos jovens estudantes em participar do evento era grande. “A gente ficou sabendo da viagem no dia do Demoday. Até então, não tínhamos ouvido falar muito sobre o Festival, mas à medida que fomos pesquisando ficamos cada vez mais ansiosos. Sabíamos que seria uma oportunidade única para nós e para o projeto. Eu esperava que fosse representar uma grande oportunidade, e no final acabou sendo mesmo”, conta Juliana Lima (16).

“Tinha a expectativa de que seria grande, mas nada comparado ao que foi para mim. O que vivi, vi e aprendi lá vou levar comigo para o resto da vida, com certeza!”, acrescenta Giovanna Godinho (16), que também integra o grupo Women Work. “Foi como se estivéssemos em casa. As pessoas são muito receptivas e dá para perceber que todos estão comprometidos em construir um mundo melhor”, finaliza.

Camila Santos (16) conta também ter ficado impressionada com a organização, ressaltando os espaços projetados para incentivar atividades interativas. “Até mesmo os lugares de descanso, traziam a oportunidade de conhecer novas pessoas”.

 

“Durante uma roda de conversa no Festival Social Good, lembro de imaginei que um dia seríamos nós sete ali na frente, falando do nosso projeto e levantando nossa bandeira”, diz a estudante Juliana, do Pense Grande

Para o grupo, a motivação para dar continuidade ao projeto só cresceu, sobretudo tendo em vista a inspiração provocada pelo Festival. “O evento todo, para mim, foi uma experiência única. Aprendemos muitas coisas novas que vão acrescentar muito ao Woman Work”, conclui Isabelle Gomes (16).

 

Integrantes do Women Work, primeiro colocado do Demoday, evento que premia
os projetos de mais destaque do Pense Grande,  embarcando para Florianópolis

 

Outros destaques no Social Good Brasil

Desde a primeira edição, em 2012, o Festival Social Good Brasil conta com a parceria da Fundação Telefônica Vivo. Neste ano, também o evento também serviu para divulgação da pesquisa Juventude Conectada, edição especial de empreendedorismo, desenvolvida pela Fundação Telefônica Vivo junto com o IBOPE Inteligência e a Rede Conhecimento Social, lançada em agosto.

Disponível para download gratuito, o estudo amplia o olhar sobre o ecossistema do empreendedorismo no Brasil, com o objetivo de mapear e compreender o empreendedor jovem, reunindo informações, analisando distribuições geográficas e outros conteúdos.

Outra novidade mostrada em Florianópolis foi o PenseGrande.DOC, um documentário com 26 histórias inspiradoras de jovens empreendedores brasileiros, que estreia dia 27 de setembro no Canal Futura, parceiro do projeto, e também estará disponível no canal oficial da Fundação Telefônica Vivo no YouTube. Seis casos retratados fazem parte do Programa Pense Grande.

E, por fim, o terceiro destaque foi o lançamento do movimento Data For Good, uma iniciativa em parceria entre Social Good Brasil e Fundação Telefônica Vivo, para acelerar o impacto positivo e a solução de problemas da sociedade através do desenvolvimento de soluções de conectividade e compartilhamento de dados.

 

Américo Mattar, diretor presidente da Fundação Telefônica Brasil, está em pé, apoiado por muletas, no palco do festival Social Good Brasil
Edgard Gouveia Jr, mestre de cerimônias do festival SGB, está em cima do palco, abraçados a outros palestantes
 Nuno Arcanjo lê poema no palco do festival Social Good Brasil
Dois palestrantes dividem palco do festival Social Good Brasil. Há um intérprete de Libras, em pé
Na imagem, grupo de cerca de 12 pessoas movimentam seus corpos em uma espécie de dança, durante o festival Social Good Brasil


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas

Na imagem, voluntário José Vicente Teixeira Junior faz homenagem ao Pense Grande em montanha na Bolívia
13 de setembro de 2018

Voluntário faz homenagem ao Pense Grande direto da Bolívia

27 de agosto de 2018

Jovens do Pense Grande falam sobre empreendedorismo e propósito

Os adolescentes Gabriel Moura (18) e João Vitor Macedo (17) posam para foto abraçados
13 de agosto de 2018

Jovens negociam venda de protótipo de horta inteligente