alt marcas
29 de março de 2018

360 Coworking potencializa projetos de jovens ao fazer ponte entre startups e maior centro acadêmico do país

Um ambiente de trabalho compartilhado, que estimula o desenvolvimento de projetos e a circulação de ideias. Esse é o propósito do 360 Coworking, que une dois conceitos para estimular jovens empreendedores e startups a tirar seus projetos do papel: um espaço colaborativo e tecnológico, ao lado da Universidade de São Paulo (USP), maior centro de pesquisa do Brasil.

A ideia é de Adne Righi, que fundou o lugar em setembro de 2017. Pós-doutora em Biologia pela própria universidade, ela viu essa oportunidade de mercado após circular entre dois mundos: o acadêmico, e o do empreendedorismo. Aproveitou então as pesquisas e os equipamentos de sua primeira startup, dedicada à realidade virtual, para abrir o espaço.

O sobrado do 360 Coworking está localizado a 100 metros da portaria principal da USP e a 8 metros do metrô Butantã, na zona oeste de São Paulo. Com opções de planos diários e mensais, os preços variam de acordo com as necessidades do profissional ou empresa. Há salas separadas ou compartilhadas, recepcionista, internet ilimitada e laboratórios modernos: de realidade virtual (FABLAB e VR), programação, prototipagem e impressão em 3D.

A arquitetura foi pensada não só para estimular o trabalho, mas também o descanso. Para isso, há uma sala de descompressão, ideal para debates e encontros, com livros inspiradores e pufes confortáveis. Na área externa, uma horta coletiva estimula a caminhada até a copa, e o conforto do jardim ajuda no espírito colaborativo. Até a ausência de ar condicionado foi pensada para favorecer a inspiração e a fluidez.

“A gente vê outros coworkings famosos que são caixotes fechados, aqui nossa proposta é outra. É um ambiente com cara de casa, mas não só cara. Tem um clima gostoso de trabalho”, diz Adne.

 

 

Preconceitos desfeitos

Para os coworkers, essa sensação também é vista como um diferencial. Wellington Oliveira, que ao lado do sócio Ricardo decidiu acompanhar a tendência do mercado, trouxe a startup Exito Studio, consultoria na área de marketing digital, para o 360 coworking.

Procurando uma alternativa para o home office, considerou a proposta  do 360 interessante, especialmente pela proximidade com a USP e pela rede de networking, que gera possibilidades de integrar seus serviços aos dos segmentos desenvolvidos pelos demais coworkers. Estamos sempre motivados a falar com os demais. Essa integração faz toda diferença.

Wellington conta também que, antes de partir para um espaço compartilhado, tinha outra visão sobre esse tipo de ambiente. Pensava que estar em um coworking afetaria a credibilidade da minha empresa, mas é o contrário: quanto mais agradável o ambiente, mais atraímos startups e fazemos negociações.”

Troca de experiências

Luciana Vasques, professora e pesquisadora da USP, também é uma das coworkers que manifesta interesse em cruzar os conhecimentos. Ela acabou de abrir a Molecolare, empresa que se dedica a oferecer cursos para escolas, alunos e professores na área de Biologia Molecular. “Estou começando do zero. Era pesquisadora e de repente estou montando meu site. O que acho legal do coworking é isso: você pode ajudar alguém, e sempre tem alguém para te ajudar”.

Atualmente, o coworking abriga sete pessoas, mas já recebeu outros profissionais das áreas mais distintas possíveis: paisagismo, marketing, personal training, direito, arquitetura.  O objetivo de Adne agora é expandir as parcerias para cursos e ações dentro do 360. E, claro, ver os empreendedores da família viabilizarem seus negócios. “A gente aqui é como pai e mãe, queremos ver os filhos fazendo sucesso.”

Além do tradicional home office e dos coworkings, existem no mundo outros modelos de organizar a vida profissional unindo essas duas propostas. É a partir desse princípio que funciona a plataforma Hoffice; a ideia surgiu pela primeira vez na Suécia, e é muito utilizada na Europa e nos Estados Unidos.

Visando aumentar a produtividade do trabalho, a plataforma facilita o encontro de pequenos grupos (de até 10 pessoas) que estejam dispostos a reunir-se na casa de um organizador. O serviço é completamente gratuito, sendo responsabilidade do organizador fornecer o espaço e internet ilimitada. Já há grupos do Hoffice no Brasil, que se organizam através de grupos fechados no Facebook.