alt marcas
7 de novembro de 2018

Mentoria, apoio jurídico e financeiro e acesso a investidores são algumas das atribuições destas instituições que fomentam os negócios de impacto social

Causar impacto positivo em uma comunidade, melhorar as condições de vida e a autonomia financeira de pessoas de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade social e garantir um impacto ambiental reduzido são alguns dos objetivos dos chamados negócios sociais, iniciativas que não param de crescer no país.

Mas não basta ter uma grande ideia. Um estudo do Sebrae apontou que os negócios sociais, de maneira geral, encontram alguns desafios importantes: falta de capacitação em gestão e intervenção social, burocracia para conseguir crédito, falta de novos modelos de investimento e de cultura de relacionamento entre empreendedores e investidores.

Para contornar problemas do tipo, há iniciativas como incubadoras e aceleradoras, que apoiam empresas em estágio inicial ou na fase de desenvolvimento e expansão dos negócios. Essas organizações, que podem ser privadas ou públicas, oferecem desde instalação física e serviços de treinamento e mentoria, até acesso à rede de investidores e apoio jurídico, de marketing e de gestão e finanças.

A seguir, selecionamos algumas iniciativas que apoiam negócios sociais no país e podem ajudar a alavancar o seu empreendimento. Confira!

 

Pense Grande Incubação

O Pense Grande Incubação da Fundação Telefônica Vivo é voltado para jovens que possuem empreendimentos ou ideias de empreendimentos com impacto social, que buscam resolver alguma necessidade da comunidade e utilizam tecnologia digital. Ao longo de 10 meses, os participantes selecionados e seus respectivos projetos passam por mentorias, dinâmicas, vivências e também têm a chance de apresentar suas ideias em pitches para possíveis investidores.  Saiba mais!

 

Artemisia

Criada em 2004, a organização sem fins lucrativos é pioneira no Brasil. Já acelerou mais de 100 negócios sociais e capacitou outros 300 em diferentes programas. O programa dura seis meses e tem uma metodologia própria que ajuda os empreendedores selecionados a testar modelos de negócio e refinar o impacto social de sua solução em um ambiente de inovação, cocriação e mentoria.

 

Aceleradora Yunus Negócios Sociais

A unidade brasileira da Yunus Social Business (YSB), fundo global que transforma doações filantrópicas em investimentos em negócios sociais sustentáveis, oferece serviços de consultoria para empresas, governos, fundações e ONGs. Para ingressar no programa são avaliados critérios como urgência do problema social, solidez do plano de negócios e potencial de impacto da iniciativa.

 

Instituto Quintessa

O programa combina aceleração e conexão entre investidores e negócios sociais e tem como diferenciais customização das soluções, desenvolvimento pessoal do empreendedor, encontros semanais com mentores e amplo suporte. O Instituto também é responsável pelo Guia 2.5, que ajuda o empreendedor a descobrir as iniciativas mais adequadas para o seu estágio de negócio.

 

Impact Hub

Criado em Londres em 2005 para ser um espaço de trabalho colaborativo entre pessoas dispostas a mudar o mundo, o Impact Hub se tornou um programa em mais de 110 países do mundo. No Brasil, ele se define como um catalizador de causas, onde empreendedores, investidores, freelancers, ativistas, consultores e estudantes se encontram em diversas atividades. O programa de aceleração tem uma metodologia baseada na experiência vivida nos espaços físicos, além de entrevistas em profundidade com os empreendedores selecionados, mapeamento de tendências, diálogos em grupos e workshops de cocriação.

 

Black Rocks

A organização voltada para apoio e inserção da população negra no ecossistema de startups tem um programa de aceleração para empresas em fase inicial de desenvolvimento com alto potencial de impacto e escala. O programa oferece treinamento, apoio na validação com clientes, suporte de mentores especializados e acesso a investidores e parceiros estratégicos.

 

Aceleradora 2.5

Criada pelo INEI (Instituto Nacional de Empreendedorismo e Inovação), a aceleradora tem o objetivo de fomentar a cultura do empreendedorismo social inovador, desenvolver tecnologias/produtos/serviços sociais e promover o desenvolvimento econômico e sustentável da população brasileira.

 

Vale do Dendê

Lançada em novembro de 2017, a aceleradora seleciona startups que atuam com economia criativa e tecnologia, nos segmentos de moda, design, mobiliário urbano, turismo, tecnologia automotiva e games. É voltado especialmente para empreendedores localizados na periferia de Salvador, na Bahia.



 

Notícias relacionadas

Imagem mostra o empreendedor Celso Athayde. Ele veste camisa branca e paletó preto
16 de novembro de 2018

Celso Athayde: da sobrevivência à transformação social

Na imagem, um homem e uma mulher usando roupas sociais estão sentados lado a lado em uma mesa de escritório. Eles usam aplicativos para gerenciar negócios em um smartphone.
16 de novembro de 2018

10 aplicativos para gerenciar seu empreendimento

A psicóloga Maitê Lourenço sorri para foto. Ela é negra, tem os cabelos curtos, usa óculos de grau e uma blusa com estampa de flores.
12 de novembro de 2018

Os desafios e oportunidades do afroempreendedorismo no Brasil