alt marcas

Locomoção de idosos, mães com bebês e animais de estimação são exemplos de serviços que garante maior autonomia aos diversos públicos que precisam de transporte.

27 de fevereiro de 2020

Os aplicativos de mobilidade urbana se tornaram quase indispensáveis no dia a dia das pessoas, especialmente nas grandes cidades. Para a maioria dos usuários dessa modalidade de transporte, basta pegar o smartphone, solicitar o carro pelo aplicativo e esperar. Mas há uma série de iniciativas voltadas para pessoas que precisam de um serviço mais personalizado.

É o caso da Eu Vô, uma espécie de Uber voltado para a locomoção de idosos e pessoas com mobilidade reduzida. O diferencial é que o serviço, que precisa ser agendado pelo aplicativo ou site com antecedência de três horas, é do tipo porta a porta. Ou seja, o motorista pega o passageiro na porta de casa e o leva até a porta do destino.

Se solicitado, o motorista também pode acompanhar o usuário em outras atividades, como compras no supermercado ou consultas médicas. A ideia veio dos irmãos Victória, de 27 anos e Gabriel Abdelnur Barboza, de 30 anos.

Os irmãos sempre quiseram empreender e até já haviam apostado em outros negócios. Mas com a Eu Vô eles finalmente encontraram um propósito: empoderar pessoas com mobilidade reduzida para viverem uma vida mais autônoma.

Os jovens de São Carlos, cidade do interior de São Paulo, se inspiraram na experiência com a própria mãe, diagnosticada com esclerose múltipla há quase trinta anos. “A Eu Vô veio para tirar do isolamento pessoas que precisam de ajuda para realizar suas atividades. Até porque o isolamento leva à perda cognitiva e, muitas vezes, à depressão. Passamos por isso em casa”, relata Victória.

 

Os irmãos Gabriel e Victória, criadores do Eu Vô, posam para foto

Os irmãos Gabriel e Victória, criadores do Eu Vô

Pesquisa de campo

Para entender os desafios do transporte destinado às pessoas com mobilidade reduzida, Victória e Gabriel arregaçaram as mangas e começaram a testar o serviço com seus próprios carros. “Foi uma experiência maravilhosa, pois tivemos contato direto com clientes que usam a Eu Vô até hoje. Além disso, entendemos a nossa operação de ponta a ponta”, avalia a empreendedora.

As operações começaram oficialmente em julho de 2017, em São Carlos. Em setembro de 2019 chegou à capital paulista e já faz parte da rotina de quase 200 famílias. Ao todo, já foram mais de 2.200 serviços prestados pela empresa.

Todos os motoristas cadastrados passam por avaliação com psicólogos e treinamento presencial, formulado pelos próprios empreendedores em parceria com profissionais da área da saúde. Assim, a empresa garante a segurança e a qualidade do serviço.

“Não tem nada mais valioso e motivador do que receber feedback de clientes que estão utilizando os nossos serviços. Vemos que realmente estamos impactando no ambiente familiar, isso é o que nos motiva a continuar”, diz Victória.

Transporte para todo mundo

Outras iniciativas também focam em públicos específicos. É o caso do BabyPass, criado no início de 2018, no Rio de Janeiro, para transportar em segurança mães e pais acompanhados de crianças de 0 a 7 anos.

O carro solicitado pelo usuário vem equipado com a cadeirinha para crianças de 0 a 3 anos ou assento elevado para as de 4 a 7 anos. Apenas motoristas mulheres são contratadas, e todas elas passam por seleção minuciosa. Além de zelar pela segurança das crianças, as motoristas também são preparadas para indicar locais e atrações para crianças.

Já o Lady Driver é um aplicativo de transporte exclusivo para passageiras e motoristas mulheres, criado com o objetivo de trazer mais segurança e conforto para o público feminino se locomover na cidade. Além disso, a plataforma possibilita o cadastro de um contato de emergência para acompanhar a viagem realizada.

E quem precisa transportar animais de estimação, pode contar com o PetDriver. O aplicativo voltado para o transporte de cachorros e gatos conta com motoristas amantes de animais. A segurança é prioridade: cães são transportados com cintos próprios e gatos permanecem em caixas específicas. Além disso, os carros são higienizados a cada corrida.

Além do asfalto

Saindo dos centros urbanos, há quem precise de soluções para se deslocar na água. Pensando em facilitar a vida de quem utiliza transportes hidroviários na região do Amazonas, os jovens paraenses Maickson Bhoim e Taissir Wilkerson criaram o Embarcar, aplicativo e site que reúnem informações completas sobre as viagens de barco em Santarém (PA) e região.

Basta colocar origem e destino e o Embarcar fornece opções de embarcações, horários, dias, preço da passagem e contato com a empresa responsável. A ideia surgiu quando os dois empreendedores participaram do Pense Grande Incubação, projeto de fomento ao empreendedorismo social realizado pela Fundação Telefônica Vivo.

“Às vezes chegamos a um local para procurar um barco, mas o veículo está distante de onde estamos e essa dificuldade que enfrentamos me estimulou muito. Eu acredito muito na transformação social que esse aplicativo traz e na mudança de hábito da população por meio da facilidade de acesso a essas informações”, afirma Taissir.



 

Notícias relacionadas

Frame do jogo Illis
19 de junho de 2020

Estudantes desenvolvem jogo para alertar sobre feminicídio

Mulher jovem de cabelos encaracolados e brincos de argola está trabalhando montando um circuito elétrico para exemplificar a cultura maker, um dos exemplos de nova economia.
9 de junho de 2020

Nova economia: movimentos como a cultura maker transformam o empreendedorismo

Texto Alternativo Imagem mostra vários papeis coloridos amassados acima de um fundo branco e um deles, simula uma lâmpada
3 de junho de 2020

Empreendedorismo criativo: se jogue nessa ideia!