alt marcas

O produto ou serviço pode ser perfeito, mas se a comunicação não for bem utilizada é provável que o negócio não vá adiante. Veja dicas de como produzir conteúdo de qualidade e impulsione seu empreendimento!

9 de janeiro de 2020

“Se você construir, eles virão”. No mundo do empreendedorismo, esta frase, dita originalmente no filme “O Campo dos Sonhos”, de 1989, é repetida o tempo todo. Mas será que basta lançar um negócio para ganhar imediatamente o coração dos clientes?

Os especialistas garantem que não. Para se tornar referência em sua área é preciso saber a melhor forma dedivulgar sua iniciativa. Isso envolve estar por dentro do que os possíveis clientes estão falando e conhecer as tendências que envolvem o segmento. Ou seja: a comunicação é uma área estratégica de todo e qualquer negócio – e a internet pode ser uma grande aliada neste processo.

“Antigamente, você entender de marketing era uma pequena vantagem. Hoje, é praticamente uma obrigação. Se o dono do próprio negócio não tiver uma boa noção de marketing, o negócio dele vai passar por muitas dificuldades”, avalia Luciano Larrossa, profissional de marketing digital e editor do site Apptuts.

É muito comum pensar que as redes sociais são a melhor forma de produzir conteúdo. Mas, segundo Luciano, as redes sociais são apenas alguns canais de comunicação que precisam ser utilizados corretamente. “Se você tem uma conta no Instagram que dá muito resultado, não fique dependente apenas dela. O importante é usar as redes e trazer os clientes para canais de comunicação onde é mais fácil fechar as vendas: o WhatsApp, o Messenger, o Direct ou o próprio telefone”, indica o especialista.

 

Na prática

Quem utiliza a internet como ferramenta de venda ou divulgação precisa produzir conteúdo, que tem como função atrair, gerar relacionamento e fidelizar seu público. A informação pode ser entregue de diferentes formas, seja em vídeo, imagem, áudios, planilha, e-books, entre tantos outros formatos.

Quando começar a produção de conteúdo é importante entender quais formatos mais se encaixam com o seu negócio. Não basta ir produzindo coisas aleatórias, é preciso que elas atendam a um objetivo específico e estejam alinhadas com a sua marca, gerando sustentabilidade para o seu negócio. Sendo assim, os conteúdos terão constância, a cara do seu negócio e uma estratégia de criação e divulgação.

Conteúdos gratuitos, por exemplo, são importantes ferramentas para atrair seu público e podem ser disponibilizados em artigos e posts de blog, série de vídeos, tutoriais, clipes, teasers. “Comece relatando o seu dia a dia e use a sua rotina como conteúdo. As pessoas adoram saber os bastidores de um negócio. Mostre como o seu negócio faz o que faz, mostre depoimentos de clientes, mostre você preparando produtos ou serviços e entregando”, sugere Luciano.

Segundo o especialista, os conteúdos mais estratégicos também atraem a atenção dos usuários. Eles têm como objetivo trazer pessoas interessadas no seu produto e podem ser usados como uma espécie de bônus em conjunto, por exemplo, com outro conteúdo pago para aumentar o engajamento com seu cliente. E-books, webinários, minicursos por e-mail – em que seja necessário um investimento por parte do cliente para receber – grupos no Facebook, entre outros, são alguns exemplos de formatos.

O ideal é equilibrar com conteúdos gratuitos para atrair o maior número de pessoas ideais para o seu negócio, ganhando visibilidade e autoridade no universo digital.

 

Já pensou em fazer um podcast?

Uma pesquisa lançada no final de 2019 pela Associação Brasileira de Podcast aponta que 84% das pessoas que consomem a mídia são homens e mais de 50% deles vivem em São Paulo. Ainda segundo o estudo, 87% dos ouvintes têm entre 18 e 39 anos. Do total de pessoas consultadas, 37% ouviram podcast pela primeira vez por recomendação de amigo, 72% acompanham de 1 a 10 podcasts, 51% ouvem os conteúdos todos os dias e 92% os consomem pelo celular.

Durante o festival Social Good Brasil de 2019, a Fundação Telefônica Vivo promoveu a gravação ao vivo de um episódio do Pense Grande Podcast, que contou inclusive com a participação da plateia e debateu uma série de formatos para criar um podcast. O episódio está disponível gratuitamente e nele é possível encontrar dicas para fazer um conteúdo de qualidade sem precisar fazer um investimento financeiro alto.

Um dos participantes do episódio é Ric Vidal, criador da Feel Filmes, que produz e cria podcasts. Ele conta que o grande sucesso dessa plataforma se deve ao fato de as pessoas terem mobilidade para escutar em qualquer situação. Além disso, produzir um episódio é mais simples do que se imagina. “O principal elemento é ter coragem e se jogar. Existem muitos aplicativos que ajudam na captação do áudio. Para quem vai começar o melhor é usar o próprio celular”, indica.

Quem também esteve na gravação do episódio “Como produzir conteúdo para Podcast” do Pense Grande Podcast foi Mariana Campanatti, do Imagina Coletivo. Ela credita o sucesso dos podcasts ao baixo custo para consumir. “Mesmo pessoas que não têm muito acesso usam poucos dados para ouvir. É diferente, por exemplo, de assistir a um vídeo no Youtube”, ressalta.

Quem entende bem do assunto é a galera do Podcast, Mano, que hoje possui além dos episódios de podcast, que falam sobre conteúdos relacionados ao hip-hop, cultura pop, cinema, quadrinhos e outros assuntos, um portal de notícias.

Para eles, usar esse tipo de mídia como estratégia de comunicação ajuda a impulsionar e melhorar o relacionamento com o público. “A relevância e credibilidade que podcasts e influenciadores já possuem com o público pode ser algo vantajoso para a comunicação do seu negócio, criando experiências personalizadas e duradouras entre sua empresa e clientes”, garante Thiago Leve, um dos criadores, atual apresentador e editor do Podcast, Mano.

Outro desafio que move os criadores do Podcast, Mano é manter a responsabilidade social presente em cada conteúdo. Segundo Thiago, deixar o propósito social bem definido é com toda certeza algo positivo. “Gera identificação e consequentemente mais engajamento dos ouvintes. Trazer algo de positivo para a sociedade, produzindo conteúdo gratuito, consciente, pautado em questões sociais e acessível para todos é o caminho ideal”, finaliza.

Dicas para começar

Para quem não tem ideia de como começar a produção de conteúdo, Luciano Larossa dá algumas dicas de como dar os primeiros passos:

Seja a cara do seu negócio: pessoas compram de pessoas. “O empreendedor precisa ser cada vez mais a cara do negócio. Muitos ainda não entenderam a importância disso, mas ela é uma grande alavanca de vendas”, afirma.

Conte histórias: como a iniciativa começou, casos de clientes e situações de superação dentro da empresa fazem com que as pessoas se interessem pelo negócio.

Mostre sua rotina: Através de ferramentas como o Stories do Instagram é possível mostrar diariamente o que está acontecendo com o seu negócio, os produtos novos que chegaram e mostrar como eles são feitos.



 

Notícias relacionadas

Imagem mostra um armazém com alimentos expostos em caixas de plástico. Ao fundo, se vê uma parede com grafite
31 de março de 2020

Agência Popular Solano Trindade atua em rede para fortalecer periferia

Adriana Barbosa, idealizadora da Feira Preta e CEO da PretaHub
19 de março de 2020

Os avanços e desafios do empreendedorismo negro no Brasil

Imagem mostra uma rua estreita, com casas em voltas, e duas pessoas em pé de destaque
11 de março de 2020

8 agências de comunicação focadas em conteúdos sobre as periferias